Menu

Yoga e Meditação – a busca pelo bem-estar em tempos de pandemia

04/06/2021 - Pedro Santos / Comunicação NCD

Muitas escrituras e estudiosos do yoga se referem aos seus praticantes como verdadeiros guerreiros. É dito que “mais vale controlar seu espírito do que conquistar uma cidade” (Provérbios 16:32). E isso torna o Yoga muito mais do que uma prática meramente física, mas um caminho completo de autoconhecimento e autodesenvolvimento.






Somos movidos pelas nossas reações aos acontecimentos e às pessoas ao nosso redor. E o que diferencia basicamente uma reação de uma ação é a falta de consciência e clareza do momento presente. Nos envolvemos nos conflitos, nos apegamos à negatividade e isso nos aprisiona ao ciclo do estresse. Vivemos presos na mente, querendo mudar o passado ou tentando controlar o futuro, e assim perdemos o momento. Se os níveis já eram alarmantes, a Pandemia apenas agravou as doenças mentais como ansiedade, estresse e depressão mostrando a urgência de cuidarmos da nossa saúde mental e emocional. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o Brasil hoje é considerado o país mais ansioso do Mundo e também lidera os casos de depressão. 





É preciso fazer alguma coisa!


Uma das características básicas de um lutador é o estado constante de alerta, sempre na defensiva. O problema é que, em tempos tão imprevisíveis, essa tensão interna acaba esgotando nossa energia. E assim nos sentimos cansados, irritados, deprimidos, sem foco ou criatividade.  






No Yoga nossa atenção se move do externo para o interno. É um polimento que nos permite estarmos mais conscientes de nós mesmos, da nossa alimentação, do nosso corpo, das nossas palavras e atitudes. É uma jornada rumo à nossa natureza interna. E por isso é o caminho mais profundo de autoconhecimento. 





Enquanto as práticas físicas ou posturas impactam o corpo, a respiração eleva nossa energia, elimina toxinas e nos ajuda a gerenciar nossas emoções. E, se conduzido de forma adequada em toda a sua profundidade, o praticante é levado com o tempo a experimentar um estado interno de profunda conexão, paz, tranquilidade e equilíbrio. E isso é Meditação.





Meditar não é apenas fechar os olhos. É uma prática que nos permite enxergar uma realidade mais plena e abundante, ter uma perspectiva mais elevada, e apreciar o mundo em sua totalidade. Meditação nos reconecta com nosso propósito e nossa felicidade.




“Meditação é alimento para alma, ela alimenta o núcleo da sua existência”, diz Sri Sri Ravi Shankar, fundador da Arte de Viver e um dos mais respeitados mestres em Meditação no planeta. De fato, a meditação promove a limpeza mais profunda. Nos ajuda a ter mais clareza de quem somos e do que queremos. Nos ajuda a acessar esse estado de felicidade que vai além dos eventos positivos e negativos ao nosso redor. Ela nos solidifica e dá essa confiança interna para superar todos os desafios.  Por isso mesmo, em tempos tão desafiadores como esse quando precisamos do máximo do nosso potencial, é preciso baixar a guarda. E para isso, esse conhecimento é essencial!

Pedro Santos
Instrutor da Associação Internacional Arte de Viver
(11) 98320.7698 | pedrosantos@artedeviver.org.br
http://instagram.com/pedrosantosjgd





Depoimento de Brenda Zanlucas, praticante de yoga. 


Toda a prática é voltada para você. É olhar pra si e analisar como você está naquele momento. Esses mecanismos são coisas simples como a respiração, o foco e a energia. Muitas pessoas não acreditam nisso e tudo bem, porém quando você foca os pensamentos, energia e ações para algo específico dentro da sua vida ela acontece. Porque seria diferente na prática? Todos temos problemas com esses pontos e aí que o exercitar mais e mais faz com que você se torne mais experiente e mais inteligente emocionalmente. O fato da prática ser muito individual é um momento de ignorar todos os acontecimentos ao teu redor e focar somente no teu desenvolvimento das posições e respiração e da prática em si. E por ser esse momento único, eu te pergunto: quantas vezes no nosso dia a dia paramos para ficar sem fazer nada ou nesse caso fazer um alongamento que seja? Na pandemia fiz muito isso. 1 hora do meu dia em que independente do que estava acontecendo eu me permitia estar naquele tempo pensando no meu melhor, focando em como a minha respiração estava, se eu poderia alongar um pouco mais, em como a posição fluiu melhor hoje do que ontem ou realmente como hoje está difícil praticar. A vivencia do Yoga é trazer a pausa num momento especifico, fazer a quebra do seu tempo individual, algo que a pandemia não nos deixou fazer por algum tempo pra não dizer até agora né?