Menu

Porcelanato carrega a sustentabilidade no DNA

25/06/2021 - Equipe Comunicação/Portobello



Living ganha imponência baseada na sustentabilidade com o uso de lastras de porcelanato (Projeto: Portobello S.A.)


 

Sustentabilidade faz parte da essência do porcelanato. Esse material prova, de ponta a ponta, da sua produção ao reaproveitamento, que é digno de carregar essa palavra como ponto alto de seu DNA. Vantagem que se estende da fabricação à longevidade das peças em diferentes projetos e propostas arquitetônicas, sempre com o foco na diversidade de designs.

 

Por consequência, a sustentabilidade se torna uma marca de qualquer projeto que utiliza o porcelanato, do compacto ao de grande porte.

 

Continue a leitura para conhecer todos os atributos que tornam o porcelanato uma joia de construções alinhadas ao mundo da sustentabilidade. Conheça também o Cobogó Mundaú, a mais nova peça da Portobello que realça a brasilidade com o DNA sustentável. Confira!

 

Porcelanato imprime a sustentabilidade desde o princípio



Lastras Nero Venato e Cobogó Mundaú criam o contraste perfeito entre o luxo e o simples e essencial (Foto: Portobello S.A.)


Primor pelo meio ambiente é uma premissa obrigatória na fabricação e aplicação do porcelanato. Todas as etapas prezam pela entrega de facilidade na mão de obra e alta durabilidade do material, mesmo em condições que exigem muita resistência.

 

Para atingir esse equilíbrio de fatores que resultam na sustentabilidade do porcelanato, tecnologia, desenvolvimento e testes acurados são feitos para se chegar ao ápice construtivo.

 

O processo de extração da argila


Sustentabilidade implica, dentre muitos fatores, a extração cuidadosa de recursos a fim de impactar o mínimo possível o meio ambiente. Nesse sentido, a extração da argila, que é usada para criar o porcelanato, reserva benefícios à natureza se comparada a outros materiais.

 

Por ter espessura que varia de 3mm a 6mm, o porcelanato não necessita de grandes quantidades de argila para ser fabricado. E isso vale desde peças compactas quanto as novidades da Portobello que expandem possibilidades: as lastras.

A argila usada para fabricar o porcelanato também tem uma extração menos agressiva à natureza. Ela é realizada de forma superficial, não exigindo a escavação de grandes pedreiras, como acontece com o mármore e o granito — deixando toneladas de dejetos e áreas inutilizadas.



Ambientes bem iluminados podem receber porcelanato escuro, pois vão expressar melhor sua verdadeira beleza (Foto: Portobello S.A.)



A matéria-prima do porcelanato


Basicamente, 99% da matéria-prima do porcelanato é argila. O restante são rochas. Não há nenhum outro material nobre e de difícil extração que forme peças avançadas e resistentes, mesmo nas espessuras mais ultrafinas.

 

A magia que faz com que a argila fique camuflada nas diferentes peças de porcelanato se dá pela forma como esse material é compactado. De maneira intensa, um maquinário avançado faz a prensagem da argila, criando peças densas — muita massa em pouco volume.

 

Após isso, ele passa por um forno dedicado que eleva a argila prensada a altas temperaturas. A têmpera forja o porcelanato tal como os processos de fundição de aço, eternizando a alta qualidade e acabamento no material.

 

A capacidade do porcelanato de reproduzir outros elementos da natureza


Um dos destaques da sustentabilidade que o porcelanato carrega e que tem muita relação com suas vantagens para o meio ambiente é a possibilidade de reproduzir qualquer tema.

 

Assim, mármore, madeira, concreto, pedra e qualquer outro material que demanda muito mais agressão à natureza para ser extraído, é impresso com alta fidelidade no porcelanato.

 

Esse universo de possibilidades ilimitadas fica ainda mais evidente quando as peças se traduzem em lastras. São placas gigantes com medidas a partir de 90cmx180cm, que expandem todas as qualidades intrínsecas do material, com uma estética arrojada.



Tons terrosos estão em alta e trazem contemporaneidade ao projeto (Projeto: Portobello S.A.)


A reciclagem constante


Uma das vantagens que o porcelanato confere às indústrias e à cadeia que envolve a construção é a sua alta capacidade de ser reciclado. Na Portobello, cerca de 99% dos resíduos gerados são reciclados — seja em qual etapa for da fabricação e mesmo da aplicação das peças.

 

Isso torna o processo de fabricação muito mais proveitoso e reduz os danos ao meio ambiente em grande escala, uma vez que somente 0,1% dos resíduos são descartados em aterros sanitários. Fatos que elevam a sustentabilidade do material a todos os níveis.

 

O Cobogó Mundaú é a mais nova prova do DNA sustentável

Essência brasileira com premiação renomada e exaltado no mundo do design de interiores. Essas deixas traduzem qualidades do Cobogó Mundaú, uma peça que transborda sustentabilidade, eficiência e beleza para projetos, dos clássicos aos modernos.